sábado, junho 18, 2005

As Amoras

Este poema é de Eugénio de Andrade.
(encontrei-o e adorei"-o")
Eu conheço mal a obra dele,
se calhar já era altura de conhecer melhor...





As Amoras

O meu país sabe as amoras bravas
no verão.  
Ninguém ignora que não é grande,
nem inteligente, nem elegante o meu país,
mas tem esta voz doce
de quem acorda cedo para cantar nas silvas.
Raramente falei do meu país, talvez
nem goste dele, mas quando um amigo
me traz amoras bravas
os seus muros parecem-me brancos,
reparo que também no meu país o céu é azul.

               Eugénio de Andrade ("O Outro Nome da Terra")

4 Comments:

At junho 19, 2005 2:09 da manhã, Blogger Little Pear Tree said...

Gosto de eugénio de andrade... a beleza da simplicidade e do coração em cada poesia.

LPT

 
At junho 19, 2005 2:24 da manhã, Blogger Filipe said...

Epá, agora tb ja nao vale a pena conheceres, afinal o gajo morreu no outro dia. Um pouquinho tarde pa lhe dares atençao.

 
At junho 19, 2005 2:30 da manhã, Blogger NoKas said...

Bem, citando outro poeta... tudo vale a pena se a alma não é pequena. Nunca é tarde, blá blá blá, essas coisas que sempre dizemos, mas que no fundo, no fundo, são sinceras e de boa vontade. Eu gosto, conheço mal, morto ou vivo, quero ler mais!

 
At junho 19, 2005 5:25 da tarde, Blogger Tinacatarino said...

cada vez estás mais virada para a poesia...
segue as pisadas da mãe...
Adoro poesia...
Quero ler Eugénio de Andrade!!!

 

Enviar um comentário

<< Home